Governador solicitou ao Ministério dos Transportes que se identifique competências e que se defina o cronograma de obras para o trecho do meio da rodovia

O governador Wilson Lima destacou, nesta quarta-feira (22/11), que a BR-319 deve ser entendida como um projeto do Brasil, não de um estado, e solicitou ao Ministério dos Transportes a identificação das competências de todos os envolvidos na questão da rodovia federal que liga Manaus ao restante do país, e também um cronograma para a execução da obra do chamado trecho do meio.

“Um projeto de importância nacional”, diz Wilson Lima sobre BR-319 em primeira reunião do Grupo de Trabalho para viabilizar rodovia

Foto: Diego Peres/ Secom

Os pedidos foram feitos durante a primeira reunião, em Brasília, do recém criado Grupo de Trabalho do Ministério dos Transportes para apresentar soluções para a rodovia. Outras duas reuniões estão previstas, segundo o ministro Renan filho, incluindo visita à rodovia. Segundo Wilson Lima, esse passo é importante, mas é preciso avançar e apresentar medidas concretas.

“Eu pedi ao ministro que se montasse um comitê ou um grupo que tivesse legitimidade para que mostrasse quem está envolvido no processo e como está envolvido, entendendo que esse é um projeto não do Amazonas, não de Rondônia ou de Roraima, mas que esse é um projeto do Brasil, esse é um projeto de importância nacional”, destacou o governador.

Com a presença de integrantes da bancada federal do Amazonas, foi apresentado na reunião do Grupo de Trabalho um panorama da atual situação da BR-319 e o compromisso do grupo de apresentar, em 90 dias, o cronograma com o que deve ser feito para recuperar a rodovia. Também há dois projetos de recuperação do trecho do meio sendo feitos pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), com previsão de conclusão para julho de 2024.

“Um projeto de importância nacional”, diz Wilson Lima sobre BR-319 em primeira reunião do Grupo de Trabalho para viabilizar rodovia

Foto: Diego Peres/Secom

Na ocasião, o governador também reforçou ao ministro que se defina competências, por exemplo, quanto ao licenciamento da obra e datas de cada etapa a ser executada. Uma das propostas em discussão é que a rodovia seja uma estrada com governança feita por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP), com monitoramento e outras medidas para garantir a preservação ambiental.

Grupo de Trabalho e BR-319

Criado na última sexta-feira (17/11) pelo Ministério dos Transportes para discutir a situação da BR-319, o Grupo de Trabalho tem a missão de apresentar propostas e soluções com diálogo e colaboração, após identificar os principais problemas da rodovia.

“Um projeto de importância nacional”, diz Wilson Lima sobre BR-319 em primeira reunião do Grupo de Trabalho para viabilizar rodovia

Foto: Diego Peres/ Secom

A BR-319 tem cerca de 918 quilômetros de extensão e faz a ligação entre as capitais Manaus e Porto Velho (RO) e outras regiões do Brasil. Porém, boa parte dela, em especial do trecho do meio, não é pavimentada.